Share

A tecnologia XG-PON1 disponibiliza débitos de 10Gbps downstream, combinados com débitos de 2,5 Gbps upstream. Herdou a formatação da trama e a camada de controlo da GPON, disponibilizando todo o tipo de serviços a maiores débitos e com graus de splitagem superiores. Isto adiciona mais funcionalidades e maiores débitos às redes de acesso ótico, sem aumentar a complexidade. Para que as tecnologias GPON e XG-PON coexistam na mesma rede é necessário adicionar um acoplador ótico localizado na estação central. Este componente foi especificado como WDM1r na norma G.984.5 do ITU-T. Guiados pelo mercado dos componentes óticos de 10G e pelas bandas disponíveis que asseguram a compatibilidade com o legado, o FSAN selecionou os comprimentos de onda para downstream de 1575 a 1580 nm e para upstream de 1260 a 1280nm.

Uma potencial barreira para a implantação de GPON e XG-PON1 na mesma infra-estrutura ótica passiva é a existência (ou inexistência) de filtros de bloqueio dos comprimentos de onda nos ONTs instalados no cliente. A maioria dos ONTs GPON modernos têm um filtro integrado para eliminar a interferência de comprimentos de onda XG-PON1. No entanto, os ONTs mais antigos podem não ter este filtro. Os operadores com deployments mais antigos em que os ONTs não possuem os filtros, terão de instalar filtros externos junto dos ONT de modo a garantir a coexistência das tecnologias GPON e XG-PON1.

A classe B + GPON define um power budget ótico de 28dB. Com a adição do combinador WDM1r, uma ligeira perda adicional é adicionada ao power budget ótico XG-PON1, resultando em um budget equivalente de 29dB. Além disso, XG-PON1 especifica 31, 33 e 35dB de power budgets óticos opcionais.

Relativamente à configuração, operação e manutenção, o OMCI genérico (Optical network unit management and control interface specification ITU-T G.988) é utilizado tanto no GPON como no XGPON1 e também NG-PON2

Share

Leave a comment